Mistura Perigosa

A gente decidiu não mais se encontrar. É que tava tudo muito intenso, muito aceso e a gente não sabia administrar. Eu, por achar que tudo é sempre fácil; você, por achar que pode tudo na hora errada. Ah, nós dois! Não deixarei de sentir saudade. Uma mistura mais perigosa que qualquer poção de Medeia. Nós dois: Lenha e fogo, céu e querubim. A gente se encaixava de forma fácil e abrupta. Mas, olha só que desventura: Não era nossa hora. Não tá no nosso tempo, meu bem. Quero muito que você entenda que meu barco continua disponível, continua parado esperando seus braços me ajudarem a remar, mas, ainda não chegou a hora. A gente tem que aprender a nadar sozinho pra depois, quem sabe, nos ajudarmos. Não é simples mas sei que você me entende, não é? Os momentos foram marcados, os caminhos traçados. Os beijos? Guardados. Os sorrisos? Lembrados. Mas tá na hora de seguir, amor... Vai em frente porque quem sabe lá na frente a gente não se esbarra, a gente não se acha... E, talvez, só talvez, meu benzinho, não precisemos mais de barco, nem de qualquer coisa que dê trabalho: Só terra firme, só constância. Só nós dois.

COMENTÁRIO(S) PELO FACEBOOK

Postar um comentário