A Vida e O Tango Argentino



No auge de sua juventude, Manuel Bandeira (portador de tuberculose), depois de consultas médicas, recebeu o seguinte diagnóstico: 
“– Meu caro, (HAHAHA), vá para casa escutar um tango argentino e esperar pela morte.”
Simplesmente, foram essas as palavras. Vá. Casa. Tango. Esperar. Morte. Havia uma risada sem graça no ar. Uma piada de mal gosto. Uma ironia da vida. Mas assim viveu, dia após dia, esperando pela morte e escrevendo sobre a vida. O tempo todo tendo uma vida que poderia ter sido e não foi. Isso me faz pensar numa máxima: o que leva tanta gente a desperdiçar a vida com tanta lamúria, insatisfação, comodismo e egoísmo? As pessoas sentam pra escutar um tango argentino e deixam tudo de valor atrás da porta, esperando pela ação contundente que nunca acontecerá, por um estalo de dedos frágeis. Pior: as pessoas esperam que alguém apareça e estale os dedos! As pessoas esperam pela fórmula pronta, equação resolvida, amor banal e displicência legal. Tá errado! Entregam a própria felicidade nas mãos de quem, às vezes, não sabe decidir sequer o que irá comer, imagina o caminho pra fazer alguém feliz... Tolhem, assim, toda e qualquer possibilidade de felicidade! Onde já se viu? O risco é muito alto. Não dá para responsabilizar um humano falho como você pela vida diagnosticada que é só sua.
Mas vem aqui e deixa eu te contar: têm aqueles momentos em que a gente fica triste por cada coisa sem fundamente que é, normalmente, criação louca de nossa cabeça, não é? A gente perde tempo com brigas e picuinhas, chateações... A gente perde a alma em briga de foice e sentimento bom no tatame! Todas as vezes em que penso, talvez, que o melhor seria desistir, lembro de Manuel Bandeira. Foi dessa gente que tinha tudo pra ceder e simplesmente esperar, mas preferiu fazer da morte a sua graça. Sabe, pega a tristeza pela mão e dança esse tango argentino! Não se culpe por querer ter uma vida leve: não faz mal tirar do caminho as pedras gigantes. E se não conseguir tirar, pule-as. E se não saltar, chama alguém pra te ajudar, só não dê responsabilidade a quem não tem. 
Não há tempo para viver provisoriamente! Esquece um pouco os problemas. Joga pro Universo! Deixa o vento transformar em confete e cair feito purpurina na cabeça! Sinta-se mais feliz todos os dias. Provoque mais felicidade! Em você, nos outros... Faça algo por você! Não que a vida seja um eterno carnaval, mas todos os dias temos um motivo pra ter Reveillon. Tanta gente aí tuberculosa, esperando sentada pela morte e você aí podendo pegar esse tango e fazer de trilha sonora! Encontre motivos mesmo que banais! Não dependa do sistema que te manda esperar em casa. Corra atrás de algo que sempre está ali na frente: sua vida

COMENTÁRIO(S) PELO FACEBOOK

Postar um comentário